Uma cátedra única

O que é a Cátedra ANCA? Criada em 2010 no âmbito da unidade conjunta de investigação INRAE/AgroParisTech de Fisiologia da Nutrição e do Comportamento Alimentar, a Cátedra ANCA («Alimentação Nutrição Comportamento Alimentar») é uma cátedra de parceria que constrói programas inovadores e lúdicos para informar os consumidores sobre os desafios da alimentação sustentável.

A sua principal ambição é responder às crescentes preocupações e exigências do público em geral e sensibilizar os consumidores para os desafios sociais e de saúde enfrentados pela nossa sociedade em matéria de alimentação. Como? Preconizando um discurso não injuntivo, ancorado no nosso estilo de vida e que incentive uma mudança positiva nos hábitos alimentares.

Para o efeito, a Cátedra ANCA favorece o diálogo e a criatividade com ações particularmente inovadoras, promovidas por especialistas científicos. Uma abordagem que facilita a transmissão de recomendações.

A cátedra ANCA é apoiada, em regime de mecenato, pela Fundação Louis Bonduelle, pelo Grupo SEB, pelo grupo Os Mosqueteiros
e pela Ferrandi-Paris (por conseguinte, junto da Fundação AgroParisTech, sob a égide da Fundação ParisTech).

«Manger vers le futur»: banda desenhada

Primeira ilustração da criatividade do sistema em 2018 com o projeto de banda desenhada digital «Manger vers le Futur» (Alimentar-se em direção ao futuro), implementada no Instagram. O objetivo consistia em aumentar a sensibilização em torno dos futuros desafios da nossa alimentação, transmitindo um episódio por dia, durante 30 dias. O leitor acompanhou Ana, Raman, Edgar e Ines, quatro jovens recém-formados que prometem encontrar-se no mínimo uma vez por ano, para uma refeição conjunta durante 30 anos.

A banda desenhada retratava as suas aventuras pessoais, relacionais e sobretudo alimentares, tendo como pano de fundo uma sociedade em constante mudança: alterações climáticas, novas tecnologias e hábitos de consumo,…

Este projeto acumulou audiências de mais de 400 000 visualizações, uma comunidade de 4500 seguidores na conta do Instagram (fim de 2020), e foi assunto de mais de 30 meios de comunicação social (France Culture, Konbini, Les Inrocks, Nova… ), tendo sido ainda adaptado para uma exposição itinerante. No total, este programa chegou a mais de 30 000 pessoas.

NB: a banda desenhada pode ser lida no sítio da internet dedicado:

«Je Mange pour le futur» (Alimento-me para o futuro): continuação…

A banda desenhada digital «Manger vers le Futur» terminou em 2020. Mas dado o seu sucesso, sucedeu-se-lhe de imediato um novo programa imersivo e inovador para jovens dos 18 aos 35 anos em 2021, ainda no Instagram: Je Mange pour le Futur

Na origem, a ciência

De acordo com as modelizações, seria possível reduzir em 30 % o impacto do carbono da alimentação dos franceses, adotando uma dieta mais sustentável (fonte: INRAE). As nossas escolhas alimentares são, pois, parte das várias alavancas para a preservação dos recursos e do meio ambiente. Contudo, existem inúmeros obstáculos que impedem a passagem à ação. Por conseguinte, este programa baseou-se nos dados mais recentes da literatura científica para abordar este assunto complexo da alimentação sustentável e da alteração de comportamentos.

O guião? Acompanhe durante 12 semanas a investigação realizada por uma heroína fictícia, Sasha, na sua busca por uma alimentação mais sustentável. As suas dúvidas, as suas perguntas, os seus sucessos, os seus fracassos, os seus obstáculos (falta de tempo, orçamento apertado, juízos de valores das pessoas que a rodeiam), mas também as suas motivações para agir, são partilhados com uma comunidade de mais de 12 000 seguidores (em maio de 2021). O suficiente para permitir um forte sentimento de identificação do alvo pretendido.

O que é uma cátedra?

Uma cátedra no âmbito do mecenato empresarial visa desenvolver competências de ensino e investigação sobre temas definidos em parceria com a(s) empresa(s) parceira(s). O princípio é simples: uma pequena equipa, liderada por uma personalidade científica reconhecida, desenvolve atividades de investigação, formação inicial e formação contínua, durante um período de 1 a 5 anos. Estas cátedras permitem conjugar atividades de investigação do mais alto nível de excelência e de divulgação dos conhecimentos junto de estudantes ou de um público mais vasto.